A história e a experiência da UFLA na produção de obras acadêmicas, técnicas e científicas, especialmente na área de Ciências Agrárias, nos remetem ao início do século XX, quando, em 1908, o diretor do Instituto Evangélico, Dr. Samuel Rhea Gammon, hoje, Instituto Gammon, delegou ao engenheiro agrônomo, Dr. Benjamin Harris Hunnicutt, a responsabilidade de implantar e dirigir a Escola Agrícola de Lavras. Ressalta-se que neste mesmo início de século foram adquiridas as primeiras máquinas e tipos para a "Tipografia Evangélica".

No início da década de 1920, a Escola de Agrícola de Lavras, ainda sob a direção do Dr. Benjamin H. Hunnicutt, lançou o primeiro número da revista "O Agricultor" e os primeiros Boletins Técnicos do "Serviço de Propaganda Agrícola", pioneiros nesta área em todo Brasil e com circulação nacional. Essas publicações continham artigos, reportagens, notas, cartas-respostas e outras matérias sobre agropecuária, cujos objetivos eram difundir conhecimento e educar os agropecuaristas brasileiros, bem como promover o desenvolvimento rural do país. Em 1943, 21 anos após seu lançamento, a revista "O Agricultor" deixou de ser publicada por motivos financeiros da Escola, deixando uma grande lacuna no meio agrícola do país.

A "Tipografia Evangélica", que mais tarde recebeu o nome de "Imprensa Gammon", funcionou nos porões do atual "Museu Bi Moreira" e foi responsável pela impressão de vários jornais literários e acadêmicos, sendo responsável também, ainda no sistema de composição manual, pela publicação do mensário "O Agrário", que se destacou no meio agrícola da época.

Em 1923, o professor Benjamim H. Hunnicutt, diretor da Escola Agrícola de Lavras, publicou o livro "O Milho: sua cultura e aproveitamento no Brasil", através da Livraria Leite Ribeiro do Rio de Janeiro, com 12 capítulos e 304 páginas. Diversos livros de interesse dos produtores rurais foram publicados pelos docentes da Instituição até a década de 40.

Cerca de 50 anos depois de sua primeira publicação periódica na área de Ciências Agrárias, em 13 de setembro de 1971, o Conselho Departamental da, então, Escola Superior de Agricultura de Lavras (ESAL), criou o seu primeiro Conselho Editorial, constituído pelos docentes Maurício de Souza (Presidente), Wilson Ferreira Gomes, Roberto Maciel Cardoso, Francisco Geraldo França Teixeira de Castro Bahia e Vicente de Paula Vítor. Nesse mesmo ano é lançado o primeiro número de revista periódica "Agros", responsável pela publicação de vários trabalhos de pesquisa realizados pela Escola. A partir de 1977, o nome da revista mudou para "Ciência e Prática". Durante esse período, foram impressos também sob a direção do Conselho Editorial o "Boletim Técnico – Série Pesquisa" (em 1972), e o "Boletim Técnico – Série Extensão" (em 1974).
 
No decorrer de 1996, com base em consulta feita junto à comunidade acadêmica, os nomes da revista “Ciência e Prática" e do "Boletim Técnico" foram mudados para revista “Ciência e Agrotecnologia" e "Boletim Agropecuário", que também receberam novas formatações.

Com a transformação da ESAL em Universidade, e já vislumbrando uma ampliação em suas áreas de conhecimento, em outubro de 1998, foi criada, pelo Conselho Universitário, a Editora da Universidade Federal de Lavras (Editora UFLA), um órgão suplementar vinculado à Reitoria.

Além de manter a publicação da revista “Ciência e Agrotecnologia" e do "Boletim Agropecuário", a Editora UFLA tornou-se, responsável pela política editorial da Universidade, tendo como finalidade, coordenar e regulamentar todas as atividades referentes à editoração de publicações técnicas, científicas e didáticas de interesse da Universidade, bem como o de promover, divulgar, distribuir e comercializar as obras editadas. Também é de responsabilidade da Editora, a gestão da marca UFLA. Em 06 dezembro de 2012, por ocasião da revisão do organograma da Universidade, o Conselho Universitário aprovou o Regimento Interno da Editora UFLA, vinculando-a a Pró-Reitoria de Pesquisa.

A estrutura administrativa da Editora UFLA é composta pela Diretoria, Conselho Editorial, Coordenadoria de Operações e Logística e Secretaria Administrativa.